"Não gosto de criança" e o discurso de ódio por trás dessa frase

Recebi esses dias no inbox um print de uma seguidora sobre a postagem do restaurante que proibia a entrada de crianças num restaurante. A mulher apoiava a decisão do restaurante porque, segundo ela, “pensa só nos pais que pagaram uma babá pra finalmente saírem pra namorar tranquilões e chegando lá são obrigados a ter que aturar choro do filho alheio”. Eu geralmente fico alheia a essas postagens-pérola famosinhas, mas as minhas seguidoras sempre trazem algo pra mim – ainda bem, porque preciso debater sobre esse tipo de coisa.

Um caso bem polêmico na página foi de uma manicure que pedia que as mulheres não levassem seus filhos ao salão, porque, em outras palavras, lá não era lugar para crianças. Fiz um post denunciando-a, claro (infelizmente esqueci de cobrir seu nome, e tive que apagar o post para não causar maiores exposições à moça). E o pior é que teve muita gente que disse pra mim que ela estava certa.

Eu lembro que fiz um post há alguns meses atrás, falando sobre o Gael ter ido ao cinema no filme “Procurando Dory”, de faixa etária livre. Falei sobre eu não ter que me envergonhar do comportamento do Gael enquanto criança de 2 anos, num filme INFANTIL feito para crianças DA IDADE DELE. Foi meu texto mais criticado, em sua maioria, por feministas. Precisamos falar sobre isso.

E quando digo preciso, estou falando sério. Isso é algo muito grave, não tanto por ela ter postado isso, mas pela quantidade de gente que concorda.

Depois dessa postagem, na qual lembro muito bem de ter ficado enojada, vi debates sobre ela acontecerem em vários grupos feministas. E o que li foram frases que me chocaram por serem ditas por feministas (ou pseudofeministas), mas que são ditas por muita gente.

“Eu não gosto de crianças/não sou obrigada a gostar”

Essa frase por si só, já é um total despropósito. Já imaginou alguém te olhando e falando “eu não consigo gostar de você porque você tem 27 anos” (????) Ou 30, 40, 50, sei lá! Existe algum argumento real para que você não goste de um grupo de pessoas só pela idade que ela tem?
Para além do primeiro absurdo, tem o segundo: criança é a única faixa etária que não tem uma expressão de pensamento sólido e formado. O que isso quer dizer? Criança não é machista, não é racista, não é homofóbica. (pelo menos não ainda, pois sua opinião ainda está em formação, e isso depende dos fatores sociais e familiares onde ela está inserida). Criança também não estupra, não mata, não é agressora. Então por que você a detestaria?

“Ninguém é obrigado a aturar berro/choro/grito de criança”

Vamos lá, vou explicar devagarinho que é pra não ter erro: você e eu sabemos falar, né? Naturalmente. Sabemos nos expressar, escrever ler, interpretar. Sabemos pedir algo no restaurante, ou ir no banheiro quando queremos, ou falar que está com dor de cabeça quando estão falando alto perto da gente. Pois bem, se você sabe tudo isso, é porque alguém ensinou você a falar, anunciar suas dores e ir no banheiro. Provavelmente, sua mãe. Ou seu pai, também. Ou um tio, tia, avó, avô. E tenha absoluta certeza de que eles tiveram que ouvir muitas vezes seus gritos, choros e berros. Não interessa a criança maravilhosa que você foi na infância: em algum momento, você não soube se expressar. E você não aprendeu a falar do nada, esse foi um processo gradual e lento até você estar hoje comentando no facebook que não suporta choro de criança.
Embora já seja argumento suficiente para contradizer essa frase absurda, vamos supor que você não fez nada disso na infância (ou nunca te contaram, o que é bem mais provável). Para você exstir hoje, na sociedade, precisou de alguém que te colocasse no mundo e criasse você. Ou seja: para você existir na sociedade como adulto hoje, você precisou ser uma criança no passado. (parece óbvio, mas é necessário falar). Em outras palavras, para que uma sociedade exista, ela precisa que pessoas nasçam e cresçam, para se tornar adultos. Crianças são parte da sociedade, elas são pessoas e se comportam de acordo com seu desenvolvimento mental. Não interessa se ela te irrita ou não: VOCÊ TEM QUE ATURAR, SIM.

“Mas qual o problema em ter um espaço separado, childfree, só para adultos?”

O problema é que isso só enfatiza ainda mais o quanto crianças são indesejadas. Afinal, o que elas fazem além de serem crianças? É a mesma coisa de segregar espaço para negros, LGBTs e mulheres. Se existe um espaço separado para esse grupo, é porque, no espaço comum, ele não é adequado. E isso não pode existir. Criança não é que nem fumante, que é uma pessoa que consome um produto que influencia diretamente a saúde de quem está próximo.
Criança é só criança. Ela só existe.
Todos os espaços devem ser abertos para todas as pessoas. Idosos, crianças, negros, LGBTs, mulheres, porque todos eles são pessoas e o espaço público é de todas as pessoas.

Para além dessa problemática, existe um agente da passiva nessa história que vocês adoram esquecer: a mãe solo. A mãe que cria filho ou filha sozinha não tem a opção de não estar com a criança, de deixá-la num espaço à parte. Ela é segregada junto.

QUANDO SE SEGREGA CRIANÇA, SE SEGREGA UMA MÃE JUNTO.

E, a título de curiosidade, “espaços childfree” já existem. E em todos eles vêm escrito “proibido a entrada de menores de 18 anos”. É só procurar.

É extremamente necessário que esse ódio à figura da criança cesse. Não é empático com nenhuma mulher, é não ter consciência de vida em sociedade nenhuma, nem ter senso de humanidade.

Ninguém aqui tá pedindo pra você adotar um orfanato ou parir 50 filhos. A intenção é problematizar esse seu “ódio”. Tem realmente fundamento esse seu “não gostar”, ou você simplesmente não sabe lidar com crianças? Não sabe entender, falar, interpretar ou sei lá? Isso é perfeitamente natural. Quem sabe isso não pode ser exercitado? Vai melhorar, e muito, o seu convívio social, mesmo que você nunca vá ter filhos nessa vida.
O que simplesmente não dá pra aceitar é ver esse discurso de ódio à um grupo disfarçado de “civilização”.

Se você não aceita, não suporta, não tolera crianças, quem precisa ser civilizado(a) é você.

Comentários

  1. Deixa de ser retardada sua jumenta. Só li merda.
    Não gosto de criança e ponto. Vai me obrigar a gostar? Tem gente que não gosta de gato, cachorro, funkeiro, bandido....

    ResponderExcluir
  2. Vai ficar se doendo por causa da opinião alheia? A pessoa tem seu ganha pão e é obrigada a aturar criança no estabelecimento? Não né. O espaço é dela. Se a criança é artéria e mexe onde não deve, ela está mais do que certa em proibir crianças de ir lá.

    ResponderExcluir
  3. A pessoa resolve ter filhos mesmo sendo incapaz de educar uma criança para conviver em sociedade e ainda diz que somos obrigados a aturar sua incompetência. Aff
    O que incomoda são crianças mal educadas, a maioria hoje, frutos de pais acomodados.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas